Doutor Enfermeiro a 27 de Outubro de 2007 às 02:51
Outro excelente tópico.
É que temos de ponderar o seguinte: além de necessitarmos de usar o bom desinfectante, é necessário ter atenção as (in)compatibilidades químicas dos mesmos. Um exemplo sobejamente conhecido são os pluriuretanos, que são incompatíveis com a ... clorexidina, por exemplo.
Um bom tema para profundar conhecimentos.

Visao ENFernal a 27 de Outubro de 2007 às 11:31
Desconhecia por completo essa incompatibilidade, e aplica-se inclusive ao cateteres em Teflon?

Ao tentar aprofundar esse aspecto encontrei informações importantes, nomeadamente a possibilidade do gluconato de clorexidina provocar erupções cutâneas e queimadura química no local de aplicação.
Mais, a clorexidina e o PVP-i são quimicamente incompativeis, pelo que o seu uso deve ser evitado.
No Brasil usam sprays á base de clorexidina para desinfecção de feridas cutâneas, conduta esta que discordo completamente.

Em pediatria já se começa a pensar em usar estas soluções á base de clorexidina para inserção de CVPeriféricos, pelo facto de serem uma população de risco. Agora questiono... o mesmo princípio não deveria ser aplicado, por exemplo, aos doentes imunossuprimidos?

Por favor, quem tiver mais informações ou experiência no uso destes produtos colabore neste post.

Obrigado

Doutor Enfermeiro a 27 de Outubro de 2007 às 18:02
Na eventualidade de necessitar de uma lista exaustiva das incompatibilidades dos materiais dos CVC's com soluções desinfectantes (e não só!), poderá ser requerida aos fabricantes dos respectivos catéteres. Esses, poderão fornecer essa informação de uma forma mais completa e rigorosa.

Dirceu Carrara a 19 de Setembro de 2008 às 12:01
Prezados
O uso da clorexidina na forma sprays no Brasil, é na verdade uma prática executada pela população leiga, nós enfermeiros brasileiros também condemos esta prática e lutamos para que os orgãos governamentais retire do mercado esses produtos.
Um abraço
Enfemeiro Dirceu

TERESA AMORES a 23 de Julho de 2008 às 15:50
A clorohexidina solução alcoólica a 2% é realmente a mais eficaz só que o problema é que no mercado português tal produto não existia. No HSMaria por ex a CCI há alguns anos andava a tentar que houvesse uma firma que importasse ou fabricasse o produto para o nosso país. Só em 2007 conseguimos que uma firma se dispuzesse a fazê-lo e após certificação pelo Infarmed já foi adquirido e começou a ser usado. Apesar disso ainda não temos a apresentação corada o que não é do agrado de muitos utilizadores, mas a firma está a tentar modificar a situação.

Outro enfermeiro a 30 de Outubro de 2008 às 17:46

Poderias informar, qual o nome da firma que fornece a clorohexidina a 2%. Solução aquosa?, solução alcoólica?
obrigado

teresa amores a 31 de Outubro de 2008 às 19:14
A firma que neste momento comercializa a clorohexidina solução alcoólica a 2% com apresentação não corada, frascos pulverizadores de 250 ml, é a Vigon. Também já têm a apresentação corada em embalagens pulverizadoras de 15 ml (unidoses).
Até sempre