O Visão Enfernal volta e a REvolta contra a Enfermagem como arte continua. A sua afirmação como ciência voltará a tomar lugar neste blogue, centrando a sua essência na divulgação da mais recente evidência científica.
comentar
publicado por Visao ENFernal, em 05.11.07 às 16:33link do post | favorito

Um dos inconvenientes de alguns materiais usados para tratamento de feridas é a sua difícil aplicação e remoção, originando dor e trauma do leito da ferida e bordos. O conforto do doente é, também, um factor a ter em conta. Neste sentido, alguns laboratórios apresentaram soluções melhoradas dos seus produtos em detrimento de outros e, não tão recente quanto isso, surgiram os novos pensos auto-adesivos de base siliconada, com uma micro-aderência selectiva sobre o tecido. O emprego dos pensos com revestimento de silicone já era feito pelos cirurgiões plásticos para reduzir o risco de se desenvolver a cicatriz do tipo queloide, com bons resultados.


 

O silicone é a chave central deste tipo de pensos, as suas propriedades facilitam a remoção do penso sem causar dor nem trauma. Uma vez que o silicone impregnado é inerte, não há relatos de reacção local nem interfere quimicamente com as células do leito da ferida, uma vez que é insolúvel no exsudado da mesma. Por outro lado, o tamanho das moléculas de silicone é demasiado grande para penetrar através das membranas celulares e através da pele, eliminando assim a possibilidade de provocar toxicidade sistémica.

 


O silicone por si só não confere absorção de exsudado, pelo que os laboratórios apresentam produtos que combinam as propriedades não traumáticas do silicone com outros materiais, como por exemplo as espumas de poliuretano. Com esta conjugação, é possível aplicar os pensos à base de silicone em feridas exsudativas, abrindo o leque de indicações terapêuticas.

 

Uma das outras particularidades destes pensos é a capacidade de manutenção do meio húmido da ferida, facilitando o desbridamento autolítico. Há fontes de informação que afirmam que esta propriedade é a justificação do aumento do tamanho de certas feridas com a utilização dos pensos à base de silicone.

 


As suas principais indicações:


 
  • Qualquer tipo de feridas em que há intenção de prevenir a dor durante a remoção do penso e do trauma da ferida e bordos;
  • Tratamento da cicatriz hipertrófica ou do tipo quelóide (quando aplicado directamente sobre a cicatriz oferecendo resistência ao seu crescimento);
  • Aceleração da contracção e epitelização;
  • Feridas cavitárias para estimulação da formação do tecido de granulação;
  • Controlo da dor no tratamento de feridas com pressão negativa;
 

 


 

Não existem contra-indicações conhecidas e poderão ser utilizados mesmo em feridas infectadas, desde que com tratamento adequado para a infecção. Podem ser usados como penso secundário, não havendo incompatibilidade com o uso do hidrogel ou de alginatos.



Fontes de informação:

http://www.gaif.net/patro-mhc.html

http://www.worldwidewounds.com/2003/october/Thomas/Soft-Silicone-FAQ.html

http://www.garrettshouse.org/advancewoundcare.html

http://www.dressings.org/Dressings/mepilex.html

http://www.feridologo.com.br/cicatrizsilicone.htm

http://www.humberto.vet.ufmg.br/Arquivos/WoundDressings.pdf

http://www.uv.es/~vicalegr/CLindex/CLtumb/CLtumb40.jpg

http://www.homecaredelivered.com/images/product_images/295600-BX5_web.jpg


comentar
publicado por Visao ENFernal, em 02.11.07 às 22:57link do post | favorito

…Ethal Bedford Fenwick?

 

 

Natural da Escócia e nascida em 26 de Janeiro de 1856, era membro de uma família abastada com influência no Parlamento. Ethal foi uma Enfermeira que lutou incansavelmente em prol da sua profissão. Aos 21 anos iniciou funções no Nottingham Children's Hospital, permanecendo nesta instituição durante 3 anos e, em 1881, ingressa no St Bartholomew's Hospital até ao ano de 1887. Neste ano casa com um médico – Bedford Fenwick – e renuncia o cargo que ocupava no St Bartholomew´s.

Ethal era acérrima defensora da obtenção de um reconhecimento nacional do título de Enfermeiro, bem como da profissionalização da Enfermagem, tal como já tinha sucedido com os médicos em 1858. Ao contrário de Florence, para Ethal a Enfermagem era muito mais do que uma vocação: era profissão. A influência indirecta que exercia no parlamento, permitiu-lhe a introdução de uma lei que restringisse a carreira de Enfermagem exclusivamente aos Enfermeiros - State Registration of Nurses -, objectivo alcançado mesmo com forte oposição por parte das apoiantes de Nightingale. A sua ideologia centrava-se inclusivamente na formação, defendendo a preconização de 3 pilares fundamentais: curso de formação de 3 anos; um plano curricular único a nível nacional; e a realização de um exame final.

Foi a fundadora da British Journal of Nursing (uma publicação que usufruiu em proveito próprio para veicular a sua campanha), da British Nursing Association e do International Council of Nurses.

Morreu em Março de 1947 deixando um legado valioso à nossa profissão, contudo não tão reconhecido como o de Florence... sabe-se lá porquê!

Fontes de informação:
http://en.wikipedia.org/wiki/Ethel_Bedford-Fenwick
http://www.nurses.info/personalities_ethel_fenwick.htm
http://www.nationalarchives.gov.uk/catalogue/RdLeaflet.asp?sLeafletID=121&j=1
http://www.bartsandthelondon.org.uk/ilibrary/ethel-gordon-manson_w.jpg



mais sobre mim
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
14
16

18
21
24

25
28
30


links
pesquisar
 
blogs SAPO
subscrever feeds