O Visão Enfernal volta e a REvolta contra a Enfermagem como arte continua. A sua afirmação como ciência voltará a tomar lugar neste blogue, centrando a sua essência na divulgação da mais recente evidência científica.
comentar
publicado por Visao ENFernal, em 30.01.09 às 12:19link do post | favorito

 

Com muito prazer coloco no blogue mais um post do Enfº. Nuno Abreu, com uma reflexão muito interessante sobre a essência da Enfermagem.

Porque é que nós Enfermeiros Portugueses conhecemos pouco da história portuguesa da nossa profissão. Sabemos muito da evolução de enfermagem desde Florence Nightingale, porque claro, marca o início da  enfermagem moderna, mas da nossa história pouco sabemos. Será que enfermagem em Portugal só começou quando as ideias dessa Sra começaram a ser utilizadas em Portugal?

119 anos antes de “Notes on Nursing” , Frei Diogo de Santiago produz  a Postilha Religiosa. No seu segundo tratado “Arte de Enfermeros” . São cinquenta e nove capítulos sobre como assistir enfermos e advertências sobre a aplicação de medicamentos, um verdadeiro manual de boas práticas. Cito alguns excertos, com conceitos bastantes actuais.

"Os remedios, que applicares aos enfermos, sejaõ só pela vossa maõ, e a tempo; que as medicinas dilatadas se privaõ do nome de remédio, disse Quintilliano. Nunca deis remedio bebido sem primeiro ser mechido, e agoa ao enfermo para lavar a boca, por evitar o perjuizo de o lançar fóra. Tende muito, e muito particular cuidado nos numeros, que trazem os medicamentos, para que naõ haja equivocaçaõ na applicaçaõ delles; e naõ só nos numeros tereis esta vigilancia, mas também na cor, cheiro, e qualidades delles; porque nas boticas sucede muitas vezes porem-se os numeros errados, como eu tenho varias vezes experimentado, e outros muitos Enfermeiros, o que se tem remediado com a experiência dos remédios.“

In: Fr. Diogo de Sant-Iago, Postilla religiosa e arte de enfermeiros. 1741, §

109. Edição Fac-símile. Lisboa, Edição Alcalá, 2005, p.76

A preocupação como o erro clínico já era evidente. Não é a regra dos cinco certos, mas quase…

"Todos os dias de manhã, e tarde fareis visita particular aos enfermos, principalmente aos que tiveres de mayor cuidado, para dares ao Medico informaçaõ do que lhe fizestes, e como tem passado; porque alguns enfermos naõ sabem dar a indicaçaõ necessaria; e o Medico, quando os enfermos saõ muitos, naõ se póde lembrar do que a todos tem mandado fazer: o que vós remediais com muita facilidade, assim pela informaçaõ, que delles tendes adquirido, como pela lembrança, que na taboa da visita tendes formado, sem a qual naõ visiteis nunca com o Medico, ainda que os enfermos sejaõ poucos, que naõ he razaõ que a vossa memoria seja fiadora da vida, ou saude do enfermo"

IN: Fr. Diogo de Sant-Iago, Postilla religiosa e arte de enfermeiros. 1741, §

108 Edição Fac-símile. Lisboa, Edição Alcalá, 2005, p.75

A importância do registo de enfermagem……ou dos sistemas de informação.

Este tratado é um contributo importante na nossa história, e deve-nos lembrar o longo caminho que percorremos como profissão (de apenas executantes a profissionais que conceptualizam cuidados de acordo com os diagnósticos que formulam) . Sei que é cada vez mais difícil ser enfermeiro…..mas sempre foi….é inerente à profissão. Agora deixo uma questão no ar.

Preferem pertencer a uma profissão que já não têm mais nada a conquistar, ou pertencer a outra que está a evoluir, em que vocês podem deixar o vosso contributo e serem mais um marco na história. Eu já sei…..e Vocês?

 


 

http://img2.timeinc.net/ew/dynamic/imgs/081002/nurse-jackie-edie-falco_l.jpg

http://relaxaegoza.files.wordpress.com/2008/03/old-book-bu-celeste-via-flicker-cc.jpg

http://www.provena.org/stjoes/images/125/2013%20old%20hosp%20Graduating%20class%201933%20has%20Sr%20Theresa%20on.jpg


Lifepassenger a 31 de Janeiro de 2009 às 10:48
Excelente Post.

San'Iago a 2 de Fevereiro de 2009 às 01:18
Muito bom este post!
Na minha formação base abordei muitos aspectos (para não dizer todos!) retratados pela Collière ("Promover a vida"). Mais que uma abordagem à história e percurso da enfermagem global, também era salutar conhecer com mais objectividade o percurso da enfermagem portuguesa.
Great job

Vitor A. a 6 de Fevereiro de 2009 às 13:21
É sempre um parzer passar por aqui para aprender sempre algo e novo ou relembrar o que já se aprendeu.
Obrigado

RS(criancices) a 12 de Fevereiro de 2009 às 10:51
Porque é que nós Enfermeiros Portugueses conhecemos pouco da história portuguesa da nossa profissão.
Porque? porque se investiga o que está na moda para fazer um trabalhito de monografia e para ser investigador a sério, tem que se ir às profundezas e acredita que sei do que estou a falar....

De facto, a maioria dos enfermeiros não conhece a história dos enfermeiros portugueses.
Felizmente já a conheço desde 2000, altura em que precisei de investigar acerca dela.
Existe quem investigue acerca dela e não seja enfermeiro. Admiro o Prof.º Luis Graça que tem colocado na NET, aquilo que vai investigando na área da saúde, ao contrário de muitos enfermeiros que o deveriam fazer e não o fazem...

Procura ir mais além e vê o que o Prof.º Luís nos dá a navegar.... Boas navegações...

Um abraço, RS.

RS(criancices) a 12 de Fevereiro de 2009 às 10:52
Caro Miguel, clique no link anterior.
Continuação de uma boa semana, RS.

RS(criancices) a 12 de Fevereiro de 2009 às 10:56
O prémio da "Pedagogia do Afecto" também partence ao "visão enfernal da coisa"

Magistral_estratega a 7 de Setembro de 2010 às 12:49
Bem vindo de volta ;)

Readicionei-o à minha lista de blogues

Um abraço

mais sobre mim
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
14
15
16
17

18
19
20
22
24

25
26
27
28
29
31


links
pesquisar
 
blogs SAPO