O Visão Enfernal volta e a REvolta contra a Enfermagem como arte continua. A sua afirmação como ciência voltará a tomar lugar neste blogue, centrando a sua essência na divulgação da mais recente evidência científica.
comentar
publicado por Visao ENFernal, em 24.02.08 às 20:17link do post | favorito

 

 

Pelo menos uma vez ao dia! Já parece a publicidade do Danacol, mas longe disso, “FAST-HUG” são siglas que compõem uma menomónica, em que cada letra que a compõe dignifica um aspecto essencial a ter em conta no cuidar ao doente crítico. Jean-Louis Vincent, autor deste conceito em 2005, sistematizou a boa prática nas unidades de cuidados intensivos num conjunto de 7 aspectos essenciais a ter em conta, os quais não deverão ser esquecidos:


 
  • F (feeding) – a prevenção da malnutrição e da manutenção óptima da alimentação do doente crítico é fundamental no seu processo de tratamento, devendo estar ajustada à sua condição;
 
  • A (analgesia) – nem sempre fácil de prever num doente crítico, a dor deve ser controlada de forma eficaz, especialmente nas unidades de cuidados intensivos em que a resenha de atitudes invasivas é substancial;
 
  • S (sedation) – uma sedação apropriada resulta em bem-estar do doente e prevenção de complicações associadas ao uso excessivo de sedativos.
 
  • T (Thromboembolic prophylaxis) – por natureza o doente crítico encontra-se propenso à TVP. A hipocoagulação deve ser ponderada pelo risco de hemorragia, mas não esquecida;
 
  • H (Head of the bed elevated) – é eficaz na prevenção do refluxo gastroesofágico e um dos aspectos a ter em conta na prevenção da pneumonia de aspiração;
 
  • U (stress Ulcer prevention) – comum nos doentes ventilados, contudo o método de prevenção não é consensual;
 
  • G (Glucose control)
 

Pequenos gestos, agrupados numa menomónica fácil de decorar e de simbologia simpática, que fazem todo o sentido na globalidade do cuidador em unidades intensivas. Segundo o autor, deveria ser aplicado pelo menos uma vez ao dia, contudo defenda que idealmente cada membro da equipa o deva fazer em cada abordagem ao doente.

 


Por curiosidade, um estudo publicado a 12 do corrente mês, demonstra que a aplicação deste conceito numa UCI específica durante 2 anos, traduziu-se em diminuição significativa da Pneumonia Associada ao Ventilador. A associação entre ambos não se encontrava prevista, mas o resultado final foi interessante. Passo a citar na íntegra o abstract do estudo em questão:

 

«Background

 

Ventilator-associated pneumonia (VAP) is a leading cause of morbidity and mortality in critically ill patients. The Institute for Healthcare Improvement 100,000 Lives Campaign made VAP a target of prevention and performance improvement. Additionally, the Joint Commission on Accreditation of Health Organizations' 2007 Disease Specific National Patient Safety Goals included the reduction of healthcare-associated infections. We report implementation of a performance improvement project that dramatically reduced our VAP rate that had exceeded the 90th percentile nationally.

 

Methods

 

From 1 January 2004 to 31 December 2005 a

performance improvement project was undertaken to decrease our critical care unit VAP rate. In year one (2004) procedural interventions were highlighted: aggressive oral care, early extubation, management of soiled or malfunctioning respiratory equipment, hand washing surveillance, and maximal sterile barrier precautions. In year two (2005) an evaluative concept called FASTHUG (daily evaluation of patient feeding, analgesia, sedation, thromboembolic prophylaxis, elevation of the head of the bed, ulcer prophylaxis, and glucose control) was implemented. To determine the long-term effectiveness of such an intervention a historical control period (2003) and the procedural intervention period of 2004, i.e., the pre-FASTHUG period (months 1-24) were compared with an extended post-FASTHUG period (months 25-54).


 

 

Results

 

The 2003 surgical intensive care VAP rate of 19.3/1000 ventilator-days served as a historical control. Procedural interventions in 2004 were not effective in reducing VAP, p=0.62. However, implementation of FASTHUG in 2005, directed by a critical care team, resulted in a rate of 7.3/1000 ventilator-days, p<.01. The median pneumonia rate was lower after implementation of FASTHUG when compared to the historical control year (p= .028) and the first year after the procedural interventions (p= .041) using follow-up pairwise comparisons. The pre-FASTHUG period (2003-2004, months 1-24) when compared with an extended post-FASTHUG period (2005-2007, 25-54 months) also demonstrated a significant decrease in the VAP rate, p=.0004. This reduction in the post-FASTHUG period occurred despite a rising Severity of Illness index in critically ill patients, p=.001.

 

Conclusion

 

Implementation of the FASTHUG concept, in the daily evaluation of mechanically ventilated patients, significantly decreased our surgical intensive care unit VAP rate.»

 


http://www.sptimes.com/2007/04/24/images/pain450.jpg
http://www.ehponline.org/members/2005/113-12/focus1.jpg
http://www.pssjournal.com/content/pdf/1754-9493-2-3.pdf
http://www.pssjournal.com/content/2/1/3
http://www.huwc.ufc.br/arquivos/biblioteca_cientifica/1177028601_46_0.pdf


mais sobre mim
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

26
27
28
29


links
pesquisar
 
blogs SAPO