O Visão Enfernal volta e a REvolta contra a Enfermagem como arte continua. A sua afirmação como ciência voltará a tomar lugar neste blogue, centrando a sua essência na divulgação da mais recente evidência científica.
comentar
publicado por Visao ENFernal, em 18.01.08 às 21:34link do post | favorito

Abrandei o ritmo do Visão ENFernal, não por falta de criatividade nem de tempo. Muitas vezes sinto inércia quando constato a “garra” de autores de outros blogs em deixar a casa limpa e arrumada quase diariamente. Admito o meu handicap: não consigo. Eis-me revestido da mais autêntica honestidade, restando apenas dizer que também tenho repartido o tempo para acompanhar os outros blogs ligados à saúde e para (finalmente) acabar de ler “a profecia celestina”. Por este motivo, talvez, escrevo este post como resposta aos primeiros sinais de embriaguez cognitiva, quase como uma dessensibilização sombria para com as palavras. Um dia disse neste sítio “abraço a minha profissão com bastante ânimo”, mas um dia acordamos com os pés fora da cama...


 

Visitando os weblogs de colegas e de outros profissionais da área, constato algo que me atropela de perplexidade, uma espécie de “chapa 5” do bom profissional de enfermagem. De forma tão banal e relativamente aceite, por jeitos, os dotes mais apetecíveis aos profissionais de enfermagem resumem-se ao “medicamente aceite” e ao “tecnicamente espalhafatoso”. Como se o “serviço de urgência” ultrapassasse o ecrã da TV e invadisse as mentes dos profissionais de enfermagem e lhes adulterasse os objectivos verdadeiros da profissão.


É quase possível resumir o dicionário do Enfermeirês numa linha de Word: “picar”, “puncionar”, “entubar”, “algaliar”, “aspirar”, “administrar”. Perdão, receio não ter colocado em ordem alfabética, mas em tom de brincadeira também se revelam verdades difíceis de aceitar. E por mais obscuro que seja, abrir os olhos tornou-se insuficiente para fazer ver que enfermagem é mais abrangente que isso, e encontra-se mais do que documentado: já está em prática há muito tempo!


 

Existem intervenções explícitas de enfermagem, operacionalizadas tendo em conta a concepção de um plano de trabalho, que irão traduzir ganhos directos em saúde. Por outras palavras, há fenómenos de enfermagem que, quando diagnosticados atempadamente, permitem ganhos em saúde - chamados fenómenos altamente sensíveis aos cuidados de enfermagem. Sobre este tema, recomendo a leitura deste artigo. Do mesmo, retirei o quadro abaixo exposto, que resume os principais focos de atenção altamente sensíveis aos cuidados de enfermagem, sobre os quais os enfermeiros actuam e promovem ganhos directos em saúde:

 


 

Clicar sobre a imagem para ampliar


 

Afinal o Enfermeirês tem um dicionário muito mais complexo, que de todo foge à tela onde a maioria pinta. O bom enfermeiro é aquele que “pica”, “algalia” e “entuba” 20 doentes ao mesmo tempo com canhões? Não é o que a OE contempla nos seus resumos mínimos de dados, e este aspecto é passível de ser contabilizado a nível informático. Não quero transparecer a ideia de que os procedimentos invasivos não assumem importância na nossa prática. Muito pelo contrário, defendo insistentemente a detenção dessas competências por parte dos enfermeiros, mas isso é mais do que “chapa 5”. É mais do que sabido que o enfermeiro é “que dá as picas”, mas vamos dar um salto e começar a pensar em salvaguardar as competências que, de forma pouco zelosa, são vencidas para os AAM e que são consideradas o verdadeiro trabalho de enfermagem altamente produtivo, do que propriamente querer reservar e angariar competências que não nos interessam, numa realidade em que a produtividade da classe está em xeque.


Compete-nos monitorizar os doentes, mas é preciso relembrar que o nosso trabalho, sob a forma de números, está também a ser monitorizado. "I´m watching you", diz o MS, querem uma aposta? (in Sinais Vitais http://i263.photobucket.com/albums/ii129/fysga/editorial.jpg?t=1200693934)

 

 

Clicar sobre a imagem para ampliar

 


http://hospitaldofuturo.typepad.com/photos/uncategorized/medicina_394f23a.jpg


Ena Rot a 20 de Janeiro de 2008 às 15:45
Pois é...

criancices a 20 de Janeiro de 2008 às 20:19
Colega também não consigo postar todos os dias, porque não vejo necessidade nisso, gosto de viajar pelos outros blogs colocando comentários neles, tenho outros blogs, vou fazendo aquilo que posso e quem faz o que pode a mais não é obrigado. ....tenho dito (risos).
Excelente tema e reflexão.
Gosto de passar por cá, RS.

mais sobre mim
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11

13
14
16
17
19

20
21
22
24
25
26

27
29
30
31


links
pesquisar
 
blogs SAPO